Lista: Mulheres (que me representam) na música.

8 Mar

É uma lista particular e pessoal, mas não menos importante neste adorável dia. Nas redes sociais observei que tem uma onda (correta) de mulheres que querem mais respeito e menos parabéns. Que alias, do que devo ser parabenizada? Menores salários, 1 a cada 3 mulheres do mundo ou serão/já foram estupradas ou violentadas, a obrigação de ser mãe e casada antes dos 30… Muita coisa tem que ser melhorada, definitivamente. E como adoro listas, fiz uma das mulheres que me representam na música. Seja pelas suas letras, atitudes, estilo e pelo foda-se. Sim, porque para falar palavras feias somos julgadas. E para usar saias curtas e shorts também. E para termos cabelo curto também… E pelo julgamento diário e pelo fazer o que querem, elas fazem por onde para nos representar tão bem.

Gwen Stefani

Muitos reclamam que hoje ela não tem a mesma força nos anos 90, mas ela sempre me representará pelas suas músicas, que tem ótimas letras. A que melhor representa o feminismo é Just a girl.
“I’m just a girl in the world…
That’s all that you’ll let me be!”.

Como não amar?

Madonna

E nos anos 80, antes de Miley Cyrus e Lady Gaga pensarem em nascer, Madonna já calava a boca de meio mundo falando o que pensava. Seja sexo, religião, amor, arte, etc, Madonna foi revolucionária porque fazia e acontecia. A cada novo cd, uma surpresa. Uma máscara caia e o mundo se surpeendia. Como assim uma mulher falando abertamente de sexo? Madonna pode hoje ser uma caricatura dela mesma (e é), mas nos anos 80 e 90 foi importante para a música for ser uma feminista sem querer.

Fiona Apple

Fiona começou na música com 16 e já tinha muita coisa para ser falada. Suas músicas são sinceras e sua dor também. É uma mulher falando para as mulheres. Sem besteira ou rodeios, Fiona Apple representa muita gente.

Alanis Morissette

Ok, hoje ninguém liga para Alanis, mas nos anos 90 ela foi uma peça importante para um monte de gente, tanto como influência como psicologicamente. Começou nova também (19 anos) e assumia seus erros e desesperos, femininos e humanos, cantando aos berros coisas duras que todo mundo devia saber. Mais ou menos em 1997, foi a India, se encontrou e ficou pelada. E quem a conhece sabe que ela não tem a beleza padrão, loira, peito duro e bunda no lugar. E ela ligou para isso? Pontinhos pelo foda-se!

Valeska Popozuda

Sim, ela me representa. Todas as suas músicas são feministas,diretas, nada de baboseira. Ainda desejo mais Valeska e menos um monte de gente.

Shirley Manson (garbage)

Shirley foi a primeira mulher a me representar na música. Eu era obcecada por ela. Pela sua beleza, ruivice, pela sua voz e atitude. Ela pode até não ser a melhor cantora ao vivo, mas sua música me pega pela barriga e me possui. Quer dizer, esta mulher traduziu a mim e a quase todas as mulheres. Você tem dúvida, por exemplo, que a música ai em cima não fala de TPM? Quer coisa mais feminina que menstruação?

Bjork

Bjork pode ter uma voz chata, um show quase insuportável, fãs piores ainda mas ela me representa. Primeiro porque mesmo tendo uma voz estridente ela a usa com toda a sua força. Seus clipes são sensacionais e sua atitude perante ao mundo de foda-se sou gordinha de um país estranho e faço músicas mais estranhas ainda me encanta. É preciso de muita coragem para ser alguém como a Bjork. Ela é o que é.

Pitty

Por muito tempo a Pitty me representou. Seu cabelão, suas roupas, sua voz não tão afinada, sua atitude. Claro que hoje em dia ela não tem tanta força como tinha há uns anos, mas ela sabia o que eu pensava e escrevia isso nas suas músicas. Ela era o que sempre quiser ser e tentei ser. E mesmo tendo referência de um monte de gente (Alanis e Fiona é um bom exemplo), conseguia ser autentica.

Rita lee

Que mulher um dia não foi representada pela Rita Lee? Eu admito, ela me representa mais nos Mutantes do que no seu solo, mas não posso ignorar suas músicas que traduzem tão bem o que algumas mulheres sentem. A música acima é um ótimo exemplo. E nem preciso dizer que seu jeito foda-se é completamente atraente.

Debbie Harry (Blondie)

No mundo machista do rock é difícil ser feminino, e para mim a Debbie faz o requisito. Sempre foi linda e feminina. Suas letras, ok, não falam muita coisa (nada além), mas sua atitude de foda-se o mundo usando vestidos no palco, sem querer ser masculina (o que nos anos 80 era quase que obrigatório) já faz ela entrar na lista. Influenciou um monte de gente na música.

Cê viu a Beyonce na lista? É porque deste que ela deixou o marido dela falar que ele era o Ike Turner e que ela tinha que comer o bolo senão ele enfiava a porrada nela, todas as suas músicas sobre mulheres independentes que não precisam de um homem caíram por terra. So sorry.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: